Saiba mais
Idioma
Menu
Menu
Idioma

Vendas de perfumes no Brasil correspondem a mais da metade do total da América Latina

Levantamento da Euromonitor mostra que país só não bate os EUA no ranking global; vice-líder no Brasil, Natura aposta em diversificação e sustentabilidade.

Com opções econômicas e também para o segmento de prestígio, os perfumes brasileiros lideram com folga o ranking de fragrâncias da América Latina. Em 2016, o país respondeu por mais da metade (USD 6,4 bilhões) das vendas totais da região, que foram de USD 11,2 bilhões, de acordo com levantamento de Beleza e Cuidados Pessoais da consultoria internacional Euromonitor.

Já no mercado global, o Brasil ocupa a segunda posição, ficando atrás dos EUA, cujo desempenho foi de USD 7,9 bilhões no ano passado. O terceiro lugar neste ranking é do Reino Unido, que teve USD 2,4 bilhões em valor de vendas. Em 2021, a Euromonitor projeta que o tamanho do mercado de fragrâncias do Brasil vá atingir R$ 30,8 bilhões (aproximadamente USD 9,6 bilhões no câmbio atual) em valor de vendas, sem levar em conta a inflação.

Com investimento em óleos essenciais inéditos e iniciativas sustentáveis em todos os estágios da produção, a Natura é a segunda empresa que mais vendeu perfumes no Brasil no ano passado, segundo a Euromonitor. O primeiro lugar ficou com O Boticário e o terceiro, com a Avon.

“Assumimos a liderança do mercado de perfumes na Argentina e conquistamos posições muito relevantes em mercados estratégicos para a companhia, como Colômbia, Chile, México e Peru. No Brasil, somos líderes na perfumaria masculina, com marcas icônicas como Natura Homem e Kaiak, e temos observado crescimento expressivo também na perfumaria feminine”, explica Denise Coutinho, diretora global de perfumaria da Natura.

O desempenho está atrelado às iniciativas de expansão, como a previsão de abertura de 17 lojas físicas no Rio de Janeiro e em São Paulo, e na revitalização das vendas feitas pelas consultoras. Segundo a executiva, a perfumaria é um dos focos estratégicos da companhia. “A Natura está sempre investindo em lançamentos e inovação nesta categoria, que é tradicionalmente muito dinâmica. Nos últimos anos, lançamos novas marcas, como Una e Luna, e relançamos grandes clássicos, como Kriska, Biografia e Natura Homem. Além disso, investimos muito na qualidade das fragrâncias e das embalagens, buscando construir a imagem da perfumaria brasileira de qualidade e diferenciada, com um núcleo olfativo próprio, em Cajamar”.

Para atuar de forma significativa na América Latina inteira, a empresa está presente tanto no segmento de luxo quanto em opções mais populares. “Somos a empresa de vendas diretas que está liderando a construção de uma perfumaria premium, de qualidade”, explica Coutinho.

Nas fragrâncias masstige, o carro-chefe da Natura é a marca Kaiak, que foca na conexão com a natureza, seguido pela linha Humor, que propõe uma vida mais leve. Já o segmento com preços mais acessíveis é trabalhado principalmente com colônias, representado por marcas como Águas e Tododia, que prolongam a sensação do banho.

A estratégia de comunicação da empresa propõe uma relação direta entre as fragrâncias da Natura e as origens brasileiras. Para chegar a fragrâncias variadas e a uma identidade olfativa única, Coutinho explica que a perfumista da Natura há 11 anos, Veronica Kato, tem à disposição, além de 2.500 ingredientes da perfumaria mundial, 20 óleos essenciais inéditos, extraídos da biodiversidade brasileira. “Outro diferencial é que todas as fragrâncias utilizam álcool 100% orgânico, extraído de cana de açúcar cultivada sem agrotóxicos ou queimadas”, acrescenta.

O uso de vidro reciclado se soma às estratégias sustentáveis. “Em marcas como Kaiak e Humor, as embalagens contam com 20% de vidro reciclado pós-consumo, e estamos expandindo esse conceito para o restante do portfólio”, afirma Coutinho.

Fonte: Brazil Beauty News